SEGURANÇA PÚBLICA

SAIBA TUDO SOBRE A SEGURANÇA PÚBLICA!

6 de abr de 2015

Direção do Sindpol/MG se reúne com cúpula do governo e da segurança pública e exige reorientação e imediata “troca das cadeiras" e atendimento de pauta da categoria em cronograma de curto, médio e longo prazo.


Na tarde da última quarta-feira, dia 1º de Abril, o presidente do sindicato Denilson Martins, o vice “Toninho Pipoco” e o inspetor José Maria Cachimbinho, se reuniram com o secretário de planejamento e gestão Dr. Helvécio Magalhães (responsável pelo planejamento financeiro do Governo e também pela articulação com o serviço público), e ainda, com o secretário Dr. Bernardo Santana, da Seds, seu adjunto Dr. Rodrigo, e também com o chefe da Polícia Civil Dr. Wanderson Gomes e o subsecretário Dr. Antônio de Padova, para tratar de assuntos específicos da pasta de segurança, pois, existem diversas reclamações por parte dos sindicatos.

Denilson Martins cobrou sobre a necessidade do atendimento da pauta reivindicatória enviada já há algum tempo e que era preciso pelo menos o Governo apresentar um cronograma de curto, médio e longo prazo de possível atendimento, pois, a base tem muita expectativa de mudanças pelo novo Governo. Disse ainda que, sabe dos desafios encontrados pelo governo com a herança maldita e do rombo financeiro deixado pelo Governo passado, mas, que em médio prazo podemos iniciar um processo vigoroso e virtuoso de benefícios para todos, e assim, prestarmos melhores serviços de segurança e cidadania para a população.
Em resposta ao pedido do secretário Helvécio Magalhães na última reunião, para que a polícia mostrasse mais serviço e motivássemos mais colegas na redução dos índices de criminalidade, para que assim o governo continuasse a cumprir os acordos financeiros e de valorização da categoria policial, o presidente afirmou que para isso acontecer com mais eficácia é preciso que a PMMG se dedique mais a prevenção delitiva e não usurpe das funções da Polícia Civil, como tem feito. “Só assim, com uma prevenção eficiente e eficaz teremos menos problemas de crimes pra resolver, tanto a PCMG quanto a SUAPI, podendo então nos dedicar mais a apuração dos milhares de crimes que não foram prevenidos”, afirma Denilson.
Soma-se a isso, o investimento em educação e políticas públicas associadas ao combate permanente ao tráfico e abuso das drogas. É preciso uma reorientação dos gestores, delegados, chefes de departamentos, regionais, inspetores e demais a respeito da linha política do novo governo, e ainda, de uma "troca geral das cadeiras de comando", pois, até hoje os policiais e trabalhadores da segurança estão constrangidos em trabalhar e se submeter à àqueles mesmos chefes que os perseguiram nas greves e prejudicaram todos que denunciaram os desmandos, que lutavam por mudanças no sistema. Chefes que se orientaram pelo modelo Tucano, que usaram da Polícia Civil para interesses políticos escusos e sucatearam da forma que ficou, e também, usaram o assédio moral e ameaças como instrumento de afirmação daquele modelo que quase extinguiu nossa instituição. Assim, milhares de sindicâncias e P.As foram abertos, transferências arbitrárias e perseguições foram perpetuadas sob essa ótica.

O presidente também falou do projeto do código de ética da Polícia Civil e da nova Lei Orgânica, que precisa ser adequada e regulamentada em muitos pontos, da Lei Orgânica dos agentes penitenciários que se encontra parada na ALMG e sem aquiescência e participação das categorias interessadas no assunto, do absurdo da pena de cassação da aposentadoria na Polícia Civil, o que não se pode mais admitir na administração pública, dentre outros assuntos em curto prazo.
O Sindpol/MG já apresentou a pauta contendo a reivindicação da equiparação com peritos e de delegados com defensores. Pois, não se pode abrir mão dessas premissas que foram negociadas em campanha com o Governo Pimentel, mas que, por sermos parceiros, entendemos o quadro atual do Estado deixado pelos Tucanos, assim, “não colocaremos a faca no pescoço" do Governo, mas que é preciso apresentar esse cronograma para a categoria, para sempre manter essa sintonia fina com o governador e companheiro Pimentel, para que essa prática de diálogo, transparência e respeito com os dirigentes sindicais da polícia e demais categorias, seja mantida.

Dr. Helvécio Magalhães ouviu atentamente e pediu aos dirigentes das pastas que tomassem as providências necessárias ali apontadas pelos dirigentes sindicais. E, após ouvir os posicionamentos dos secretários e titulares das pastas afins, deixou agendada nova reunião para avaliar os assuntos pontuados. A direção do Sindpol/MG avaliou a reunião como importante e decisiva para todos. Demonstrando um novo e eficiente modo de governar.
FONTE:http://www.sindpolmg.org.br/pagina/4175#.VSLt8ONdW0Y

Nenhum comentário:

Postar um comentário