SEGURANÇA PÚBLICA

SAIBA TUDO SOBRE A SEGURANÇA PÚBLICA!

27 de fev de 2015

Sindicato em ação: Sindpol e a direção da Intersindical se reúnem com o secretário da Seplag.



Aconteceu na manhã dessa quarta-feira (25/02), após prévio agendamento, a importante reunião com o secretário de Planejamento e Gestão Dr. Helvécio Magalhães, para tratar das pautas comuns do movimento sindical e também iniciar um fluxo das tratativas das pautas específicas de cada sindicato e categoria. O secretário expos em breve relato as dificuldades que o governo está tendo no tocante a situação financeira e orçamentária, cuja peça anual ainda não foi aprovada em razão de “maquiagem” feita pelo governo passado, que em um primeiro momento superdimensionou as receitas e subdimensionou as despesas, chegando ao absurdo de ter uma folha de pagamento de 2015 em tese menor que a de 2014, fato impossível se considerarmos o crescimento vegetativo natural da folha.
O secretário ouviu atentamente a exposição dos líderes sindicais e se comprometeu de convocar todos novamente na segunda semana de março para apresentação de um diagnóstico analítico da situação financeira e orçamentária do Estado, momento em que o governo se posicionará sobre as reivindicações de reajuste salarial geral e pagamento de prêmio de produtividade, dentre outras medidas que repercutam em impacto financeiro e orçamentário.
Quanto ao IPSEMG, o mesmo deixou bem claro que o passivo é grande e que gradativamente estará sendo feita a quitação de obrigações e custos com fornecedores, clínicas credenciadas, que no tocante ao decreto do governo passado que retira a autonomia, já está sendo feito estudos para restabelecer a capacidade de crédito da saúde financeira do órgão, porém no que se refere à questão previdenciária com a extinção do FUPEMG, medida grave que muito prejudicou o direito dos trabalhadores, ações já estão sendo feitas pelo governo juntamente com o Ministério da Previdência para tentar equacionar esse furo criado pelo governo passado da ordem de 3,6 bilhões de reais.
O secretário afirmou que os compromissos assumidos pelo governo passado estão sendo mantidos sem nenhuma retirada de direitos dos funcionários públicos, somente após esse diagnóstico financeiro o governo poderá se posicionar de forma decisiva. Ele se comprometeu em manter o acesso, diálogo franco, aberto e a transparência das informações e dados do governo para com as entidades sindicais, com a sociedade e que no tocante as demandas específicas de cada categoria estará orientando a sua assessoria para o atendimento, recebimento, debate e possível atendimento. Dr. Helvécio disse ainda que atendendo solicitações da Intersindical e entidades que a compõe, o governo estará criando mecanismos para captar recursos e melhorar as receitas do Estado, e que estará reabrindo os postos de fiscalizações nas regiões de fronteira e nas rodovias, corrigindo grave erro praticado pelo governo passado.
O secretário da Seplag disse que ainda esse ano, juntamente com a futura Secretaria de Recursos Humanos, estará retomando os debates sobre os projetos de leis orgânicas e de regulamentação legislativa que ficaram pendentes por entender serem tais instrumentos importantes e essenciais para as categorias profissionais do Estado.
O presidente Denilson Martins e demais dirigentes sindicais, em sua exposição, deixou bem claro que sua categoria através das entidades que a representa já está se esforçando no sentido de unificar uma pauta prioritária perante o governo, e para melhores resultados institucionais é essencial que o governo recomponha os quadros de efetivo e implemente medidas que sinalize pela melhora da condição de trabalho do servidor, pois assim, poderemos contribuir cada vez mais no tocante a política remuneratória. É importante que o governo tenha um olhar e uma ação mais do que justa, e sim equânime tratando de forma desigual aqueles desiguais e injustiçados, não é possível que o Estado mantenha esse quadro de injustiça salarial principalmente com os que ganham menos, que hoje são cerca de 100 mil servidores de um total de quase 550 mil. Posição que o secretário também entendeu ser de bom alvitre.
Veja a entrevista do secretário e do presidente do Sindpol/MG, Denilson Martins.
Vídeo: SINFFAZ

Nenhum comentário:

Postar um comentário