SEGURANÇA PÚBLICA

SAIBA TUDO SOBRE A SEGURANÇA PÚBLICA!

5 de fev de 2015

As direções do Sindpol e da Aespol são recebidas pelo novo chefe de polícia para primeira reunião de trabalho e boas-vindas.



Na manhã dessa quinta-feira (05/02 )o presidente Denilson Martins do Sindpol/MG e o presidente Wellington Kalil, da Aespol/MG foram recebidos juntamente com os membros das suas respectivas direções pelo novo chefe da Polícia Civil, Dr. Wanderson Gomes Silva, para uma primeira reunião de trabalho e boas-vindas.
Após 4 horas de uma reunião profícua, o dirigentes discorreram sobre vários temas, com o novo gestor da Polícia Civil, como a equiparação salarial entre os cargos da base, convocação de excedentes dos concursos de investigador, peritos, escrivães, médico-legistas e administrativos; certames e convocações estas cujo o estado de impacto financeiro já foi realizado por iniciativa da nova chefia; discorreram também sobre o quadro de sucateamento e estruturação institucional da Polícia Civil bem como o maior comprometimento dos membros da categoria na produção de resultado e ainda uma necessária e emergencial harmonização entre os cargos e carreiras da instituição, movimento de dupla mão que deve ser capitaneado pela Administração Superior da instituição e todas as entidades de classe com um único propósito de criar sinergias e forças para as transformações necessárias que a nossa categoria policial carece e precisa.
O chefe expôs aos dirigentes sindicais os desafios que a instituição precisa enfrentar e superar a curto, médio e longo prazo, principalmente investimentos que durante muito tempo deixaram de ser aportados em nossa instituição, para que a mesma pudesse produzir os resultados tão reivindicados pela população: mais segurança, eficácia e rapidez na pronta resposta do combate ao crime. Ele disse que na condição de chefe de polícia será prioridade em sua gestão ter uma relação verdadeira, transparente, próxima e de cooperação com as entidades de classes representativas da Polícia Civil, levando ao Governo às ações, desafios e so
luções propostas no debate permanente com a base, demais instituições do sistema e com a sociedade. Dr. Wanderson afirmou que as demandas são muitas, mas a vontade de trabalhar e equacioná-las também não são pequenas, e que, se puder contar com a participação de todos o tempo de bons resultados certamente já estará chegando.
Os dirigentes sindicais que acompanharam e participaram dessa importante reunião também pontuaram e ponderaram ao chefe sobre a necessidade de ser fazer uma gestão mais plural levando benefícios e respostas para os policiais do interior, que em razão da escassez de recurso e da distância do Centro de decisões que está em BH, padecem com a sobrecarga de trabalho, escassez de material humano, falta de equipamentos, infraestrutura, motivo pelo qual sentem mais de perto os efeitos do sucateamento crônico e da desvalorização, fato que o chefe Dr. Wanderson reconheceu ser procedente e se comprometeu com a participação de todos buscar equacionar a situação. O chefe também destacou que é importante a união de todos para a aprovação de matérias legislativas que precisam ser regulamentadas, como por exemplo, o caderno disciplinar que está tramitando na ALMG, benefícios aprovados para serem revistos na Lei Orgânica dentre outras medidas históricas que precisam de regulamentação.
Sobre a questão dos administrativos e do aumento de efetivo, o mesmo se colocou como principal interessado no atendimento dessa matéria, e já  levou ao conhecimento do governador e do secretário de Defesa Social, Bernardo Santana, em recente reunião, os levantamentos e números para esse fim. Disse ainda que percebe não só boa vontade, mas compromisso republicano na pessoa do governador de buscar corrigir essas distorções presentes já há muito tempo em nossa combativa Polícia Civil. O vice-presidente Toninho Pipoco solicitou do Chefe de Polícia uma atenção justa, equilibrada e isonômica com relação aos policiais aposentados e pensionistas, pois não são poucas as demonstrações que as administrações passadas deixaram para segundo plano, esse segmento assim como os policias mais antigos, que devem ser respeitados e valorizados, assim como os mais novos. Dr. Marcelo Armstrong, diretor regional de Juiz de Fora, cobrou do chefe e da administração superior na maior brevidade possível, a implementação de maior tecnologia, eficácia e transparência nas ações do departamento de pessoal que até hoje não está provido de informatização adequada, nem tão pouco de profissionais qualificados em número ideal para atender a demanda da categoria, o mesmo reconhece os esforços dos atuais servidores daquele órgão, mas é necessários meios e condições mais modernas para obtermos resultados mais rápidos e melhores prestações de serviços aos nossos servidores, principalmente aposentados, que na maioria das vezes tem que se deslocar diversos rincões até BH para solucionarem questões que poderiam ser resolvidas até mesmo pela internet.
Com relação às promoções e progressões de servidores do interior, o diretor do Norte de Minas Enmerson Mota, expôs ao chefe a desmotivação e descontentamento da categoria no interior quando o assunto se trata de promoções, pois o entendimento da grande maioria, somente Belo Horizonte e Região Metropolitana de BH são contemplados, motivo pelo qual a nova administração deve buscar a prática de critérios mais objetivos e transparentes para promover essa valorização.
O chefe de polícia também debateu vários pontos estratégicos com os dirigentes e comprometeu  que, após a publicação da nova composição do Conselho Superior de Polícia, vai buscar uma “sintonia fina” na instituição entre a administração, entidades de classe representativa, a administração superior e o seu gabinete estará sempre aberto para ouvir e receber as contribuições das lideranças no sentido de melhorar cada vez mais  a gestão da nossa instituição, o mesmo também reforçou que é necessário melhorar a comunicação entre os órgãos e instâncias de decisões da Polícia Civil, e que é preciso sim ouvir a todos e buscar atender a todos os cargos e funções. Na condição de policial civil que iniciou a sua carreira nos cargos da base, como detetive de polícia, profissão da qual tem muito orgulho de ter feito parte das fileiras operacionais, e agora como chefe de polícia, tem a feliz oportunidade de dar a sua contribuição do que viu, ouviu e viveu de perto e espera contar com a confiança e participação de todos.
O presidente Denilson Martins ao ensejo despachou vários ofícios e documentos com o novo chefe, e colocou a instituição Sindpol/MG à disposição da administração para realizar as parcerias e ações necessárias para valorização, modernização e melhor prestação de serviço da nossa instituição.
Desafios
Os dirigentes sindicais também debateram sobre temas polêmicos que tem gravitado nos últimos tempos na instituição, como matriz remuneratória de subsídio, unificação de carreiras de investigador e escrivão; carreira única; integração dentre outros, temas que o sindicato expôs com bastante clareza ao Chefe de Polícia, e a sua posição da qual gostaria que fosse compreendida e respeitada, para o bem da polícia e da sociedade.
Dr. Wanderson pontuou que uma necessidade premente no seio da nossa instituição é o cuidado com a saúde do policial civil e de seus dependentes. Ele se comprometeu em buscar meios para melhorar a prestação desses serviços essenciais aos nossos operadores e familiares. O Chefe de Polícia está aberto para sugestões mais eficazes e práticas, seja através da definitiva implantação e funcionamento do novo hospital da Polícia Civil ou através de planos de saúde pactuados para melhor atender na capital e interior.
Participaram dessa importante reunião o presidente Denilson Martins, o  vice-presidente Toninho Pipoco; o diretor administrativo, José Maria de Paula Cachimbinho; o secretário-geral, Cláudio de Souza Pereira; o  presidente da Aespol, Wellington Kalil; o diretor regional da Zona da Mata, Dr Marcelo Armstrong; o diretor financeiro da Zona da Mata, José Ribamar;  diretor para assuntos de aposentados da Zona da Mata, Marcos de Abreu; o diretor regional do Norte de Minas, Enmerson Mota Rocha.
Executiva Sindical.
FONTE:http://www.sindpolmg.org.br/pagina/4053#.VNP-Ty69BZo

Nenhum comentário:

Postar um comentário