SEGURANÇA PÚBLICA

SAIBA TUDO SOBRE A SEGURANÇA PÚBLICA!

10 de jun de 2013

EM TODO O ESTADO Polícia Civil entra em greve a partir de hoje.


Paralisação de 30% dos servidores tem como foco melhores condições de trabalho

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Fonte Normal
Polícia Civil ameaça greve
Protesto da categoria ocorrido no dia 25 de fevereiro de 2013
PUBLICADO EM 10/06/13 - 12h00
A partir de hoje, cerca de 2.100 dos 7.000 servidores da Polícia Civil de Minas Gerais vão entrar em greve por melhores condições de trabalho. O movimento, que deve contar com a adesão de 30% do efetivo, vai reduzir serviços à população em todas as cidades mineiras e priorizar casos urgentes – como flagrantes e ocorrências relacionadas a menores e à Lei Maria da Penha – em delegacias e no Departamento de Estadual Trânsito (Detran-MG), segundo informou o Sindicato dos Policiais Civis de Minas Gerais (Sindipol-MG).

VEJA TAMBÉM


Após quase quatro anos de debates com o governo do Minas, a categoria decidiu entrar em greve por não concordar com texto apresentado pelo Executivo à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), na semana passada, que revê a Lei Orgânica da Polícia Civil – criada em 1969 e vigente até hoje, sem alterações significativas. O objetivo da classe é pressionar os deputados a não aprovarem o texto. “Precisamos de concurso para todos os cargos, não só para alguns. Se não, a violência vai continuar avançando”, disse Antônio Marcos Pereira, vice-presidente do Sindipol-MG.
A Polícia Civil anunciou, na última sexta-feira, concurso para delegados e peritos. O número de novas vagas ainda não está definido. Em nota, a assessoria de imprensa da corporação informou que ainda não vai se pronunciar sobre a greve. Hoje, ao meio-dia, a classe se reúne na porta da ALMG.

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Fonte Normal
Polícia Civil ameaça greve
Protesto da categoria ocorrido no dia 25 de fevereiro de 2013
PUBLICADO EM 10/06/13 - 12h00
A partir de hoje, cerca de 2.100 dos 7.000 servidores da Polícia Civil de Minas Gerais vão entrar em greve por melhores condições de trabalho. O movimento, que deve contar com a adesão de 30% do efetivo, vai reduzir serviços à população em todas as cidades mineiras e priorizar casos urgentes – como flagrantes e ocorrências relacionadas a menores e à Lei Maria da Penha – em delegacias e no Departamento de Estadual Trânsito (Detran-MG), segundo informou o Sindicato dos Policiais Civis de Minas Gerais (Sindipol-MG).

Após quase quatro anos de debates com o governo do Minas, a categoria decidiu entrar em greve por não concordar com texto apresentado pelo Executivo à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), na semana passada, que revê a Lei Orgânica da Polícia Civil – criada em 1969 e vigente até hoje, sem alterações significativas. O objetivo da classe é pressionar os deputados a não aprovarem o texto. “Precisamos de concurso para todos os cargos, não só para alguns. Se não, a violência vai continuar avançando”, disse Antônio Marcos Pereira, vice-presidente do Sindipol-MG.
A Polícia Civil anunciou, na última sexta-feira, concurso para delegados e peritos. O número de novas vagas ainda não está definido. Em nota, a assessoria de imprensa da corporação informou que ainda não vai se pronunciar sobre a greve. Hoje, ao meio-dia, a classe se reúne na porta da ALMG.

O TEMPO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário