SEGURANÇA PÚBLICA

SAIBA TUDO SOBRE A SEGURANÇA PÚBLICA!

22 de mai de 2013

SUL DE MINAS:DIRETOR GERAL É EXONERADO.


SUL DE MINAS

Diretor de presídio é exonerado do cargo em Sacramento

Servidor é investigado pelos crimes de tortura, prevaricação, abuso de poder e uso indevido da viatura do presídio

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Fonte Normal
PUBLICADO EM 22/05/13 - 18h1
O diretor geral do Presídio de Sacramento, no Triângulo Mineiro, foi exonerado do cargo nesta quarta-feira (22). Ele é investigado pela corregedoria da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), pelos crimes de tortura, prevaricação (quando um servidor público falta com seu dever), abuso de poder e uso indevido da viatura do presídio.

Por meio de nota, a Seds informou que a exoneração dele não tem relação com as investigações e aconteceu por “questões administrativas da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi)”, que não foram explicitadas. Porém, ex-agentes penitenciários do presídio afirmam que ele foi exonerado porque a corregedoria recebeu mais denúncias de agressões. “Familiares de presos e outros ex-agentes perderam o medo de contar as torturas que os detentos sofriam”, afirmou um ex-servidor, que preferiu anonimato.
Ainda de acordo com a Seds, o ex-diretor administrativo do Presídio Aluízio Ignácio de Oliveira, em Uberaba, também no Triângulo Mineiro, Leandro Fachinelle Toledo, 33, assumiu a direção da unidade de Sacramento. Ele era diretor administrativo do presídio desde 2007.

Segundo informações do ex-agente, o novo diretor foi apresentado ontem, e a novidade comemorada pelos servidores do presídio. “Eles ficaram muito felizes e esperam que a situação melhore”, disse. A mãe de um preso agredido também ficou aliviada com a exoneração. “Desde as publicações na mídia, as agressões reduziram. Acredito que, agora, vão acabar”, disse.
Apuração. Além do diretor geral exonerado, um diretor de segurança do presídio também é investigado pelos mesmo crimes. Ele foi transferido para a cidade de Araxá, no Alto Paranaíba, no mês passado. Na época, a Seds afirmou que a transferência ocorreu para não atrapalhar as investigações. Um agente penitenciário que já trabalhava em Sacramento assumiu o cargo.
Entre abril e setembro de 2011, período em que as irregularidades teriam sido cometidas, 13 agentes penitenciários foram demitidos. Eles alegam que foram mandados embora porque não concordavam com a conduta dos diretores. Já de acordo com a Seds, eles foram demitidos por faltas ou por que haviam encerrado o contrato.
FONTE:O TEMPO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário