SEGURANÇA PÚBLICA

SAIBA TUDO SOBRE A SEGURANÇA PÚBLICA!

15 de abr de 2013

Delegado é acusado de tentar matar namorada adolescente em Ouro Preto.



Geraldo Toledo já havia sido indiciado por ter agredido a garota
Garota, de 17 anos, foi baleada na cabeça.

O delegado Geraldo Toledo Neto é acusado de tentar matar a namorada, uma adolescente de 17 anos. O suspeito é apontado como o responsável pelo tiro que acertou a cabeça de A.L.S, que deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ouro Preto, na região Central de Minas Gerais, por volta de 19h50 da noite desse domingo (14). De acordo com a Polícia Militar da cidade, o crime teria ocorrido em uma estrada que liga a cidade ao distrito de Lavras Novas, onde, segundo relatos de familiares de A.L.S, vítima e acusado teriam passado o dia juntos. A adolescente é natural de Conselheiro Lafaiete, também na região Central do Estado.
A corporação recebeu denúncia anônima de que havia um carro de cor escura parado na região e ocupado por um casal, que estava brigando. Horas depois, os policiais foram acionados por funcionários da UPA, que informaram sobre a entrada da adolescente.
Na unidade de saúde, os militares ficaram sabendo que A.L.S tinha sido levada até ao local por um homem, que estava em um Peugeot 307 preto e afirmou aos atendentes que a garota havia tentado se matar. Após o atendimento médico da adolescente, o suspeito disse para os funcionários da UPA  que iria até a delegacia registrar o ocorrido e voltaria. Porém, o homem não retornou, o que levantou a suspeita dos profissionais da área da saúde, que pediram ajuda para a polícia.
Segundo o capitão Paulo Henrique do 52º Batalhão da Polícia Militar de Ouro Preto, foi possível confirmar que o Peugeot 307 apontado pelos atendentes da UPA esteve no local. O carro foi reconhecido por meio de consulta de imagens gravadas pelas câmeras de segurança de um posto de combustível que fica perto da unidade de saúde.
Devido ao grave estado de saúde,  A.L.S teve que ser transferida para o Hospital Pronto Socorro João XXIII, na capital mineira, onde está internada no Centro de Tratamento Intensivo (CTI). A garota já passou por cirurgia para retirada da bala e respira com o auxílio de aparelhos.
O caso é investigado pela Polícia Civil de Ouro Preto, que ainda não recebeu nenhum contato de Geraldo Toledo. Até esta segunda-feira (15), segundo o delegado Valfrido de Sá Filho, a linha de investigação é direcionada à hipótese de suicídio.
Por meio de nota, a assessoria da Polícia Civil de Minas Gerais informou que a Corregedoria-Geral da corporação já designou a delegada corregedora Agueda Bueno para apurar as circunstâncias do caso. Agueda Bueno viajou na manhã desta segunda para Ouro Preto, onde acompanha de perto os trabalhos dos profissionais da Delegacia Regional da cidade. A Perícia Criminal já efetuou exame residual na adolescente para confirmar se foi ela quem disparou a arma.
Além dessas informações, a assessoria ainda esclareceu que a entrada da Corregedoria no caso foi uma determinação da Chefia da Polícia Civil.

Outras acusações
Essa não é a primeira vez que Geraldo Toledo, que ingressou na Polícia Civil como delegado em julho de 2002, se envolve em ocorrências policiais. Em 2011, o delegado foi preso após ser acusado de ter envolvimento com uma quadrilha nacional de roubo de caminhões e falsificação de documentos. Geraldo Toledo ficou detido na Corregedoria de Polícia Civil, em Belo Horizonte, por uma semana. No entanto, atualmente, ele responde ao crime em liberdade. De acordo com a legislação, uma das penas previstas é a demissão do delegado.
Na época em que foi preso, o delegado afirmou ser inocente e disse que deixou a delegacia de Mateus Leme, uma das várias em Minas que emitiram documentos dos veículos roubados, dias antes de o crime começar a ser cometido.
Segundo as investigações, a quadrilha pode ter roubado pelo menos 700 caminhões, falsificado 1.249 documentos de veículos e ainda contava com a participação de agentes da polícia para "esquentar" a procedência dos caminhões roubados.
Em 19 de março deste ano, Geraldo Toledo foi indiciado pela Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente por ter agredido A.L.S. O inquérito já está na 13ª Vara Criminal. Essa ocorrência também pode culminar em outro procedimento na Corregedoria-Geral.
Atualmente, Geraldo Toledo está lotado na Delegacia Especializada de Atendimento à Pessoa Deficiente e Idoso, já que a lei lhe garante o direito de trabalhar e receber os vencimentos enquanto não for concluído qualquer processo em tramitação na Justiça e na Corregedoria da Polícia Civil.


Matéria atualizada às 12h06 do dia 15/04/13.
 
» Notícias relacionadas
O Tempo
08/05/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário