Renata Caldeira/TJMG/Divulgação

Bruno Fernandes
Bruno confessou que Eliza Samudio foi morta, mas nega ser o mandante do crime

Chorando muito, o goleiro Bruno Fernandes de Souza relatou à juíza Marixa Fabiane Lopes o que aconteceu com sua ex-amante Eliza Samudio na data em que o Ministério Público aponta como sendo dia do assassinato da ex-modelo. O depoimento do réu no Fórum Doutor Pedro Aleixo em Contagem já dura mais de três horas.
Segundo Bruno, Eliza deixou o sítio do atleta junto com se amigo Luiz Henrique Romão, o "Macarrão", seu primo Jorge Luiz Rosa. Horas depois, os dois retornaram ao sítio sem a mulher, mas com a criança no colo. "Pelo amor de Deus. O que vocês fizeram com ela", teria perguntado o goleiro. Neste momento "Macarrão" teria dito: "Resolvi o problema que te atormentava".

LEIA TAMBÉM: 
O goleiro disse que então pegou o filho no colo e o entregou para a sua ex-mulher, Dayanne Rodrigues, pois precisava conversar com "Macarrão" e o primo Jorge Luiz sobre o que tinha acontecido. O atleta contou também que ficou desesperado e com muito medo. "Macarrão" teria dito que ela "atormentava" muito.
 
Questionado por Bruno, Jorge contou que Eliza havia sido morta. O primo do goleiro contou para ele que "Macarrão" foi até a região da Pampulha, onde encontraram com um homem que estava em um moto, identificado como "Neném".
 
De lá, eles seguiram até uma casa em Vespasiano, na Região Metropolitana de BH, onde Eliza foi executada. O goleiro contou, em seu depoimento, que ouviu do primo que a ex-amante teve as mãos amarradas por "Macarrão" e recebeu uma gravata de "Neném". Antes de ser morta, o amigo de Bruno teria chutado Eliza.

Jorge teria dito que saiu do local assustado. Depois, o primo de Bruno contou que "Neném" foi para o lado de fora da residência e relatou que havia esquartejado o corpo de Eliza Samudio e depois jogado os pedaços para cães. 

O goleiro relatou também que Sérgio Rosa Sales, primo de Bruno assassinado em agosto do ano passado, ouviu de longe a confissão de Jorge. No dia seguinte ao crime, o atleta retornou ao Rio de Janeiro, onde participou da festa de aniversário do jogador e companheiro de equipe, Wagner Love. 
 
Dois dias após o crime, no domingo, 13 de junho, ele foi para Angra dos Reis e onde participou da festa do time 100 (porcento), organizada por sua ex-namorada Fernanda Gomes de Castro.