SEGURANÇA PÚBLICA

SAIBA TUDO SOBRE A SEGURANÇA PÚBLICA!

28 de mar de 2013

Atuação do DEOESP: Polícia tenta identificar quadrilha suspeita de roubar e revender cargas roubadas em Minas.


Um caminhoneiro integrante  do grupo foi preso e apresentado nesta quarta-feira pela Polícia Civil
 

José Carlos de Oliveira, de 38 anos, estava em um caminhão com carga de queijo argentino (Ramon Lisboa/EM/D.A.Press)
José Carlos de Oliveira, de 38 anos, estava em um caminhão com carga de queijo argentino

A polícia tenta encontrar seis pessoas que pertencem a uma quadrilha especializada em roubos de cargas. Um dos integrantes do grupo foi preso e apresentado nesta quarta-feira na Divisão Especializada de Operações Especiais (Deoesp). As investigações apuraram que os criminosos roubavam as mercadorias e os veículos onde eram transportadas, falsificavam documentos e depois revendiam o material.
A quadrilha atuava na Região do Vale do Aço, onde foi construída uma empresa de fachada que foi criada para encobrir a ação criminosa. Nesta terça-feira, a polícia recebeu a informação que um veículo do grupo iria fazer uma entrega na Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa/MG) . A carreta carregada de queijo foi roubada no dia 10 de março em Queimados, no Rio de Janeiro. O motorista estava em um posto de combustíveis quando foi rendido por homens armados. Os bandidos levaram o veículo para a cidade de Ipatinga, onde funciona uma espécie de “deposito” da quadrilha. “A carga é roubada em um estado e comercializada em outro para dificultar a investigação”, explica o delegado Hugo Arruda.

Carga estava avaliada em R$ 200 mil
Carga estava avaliada em R$ 200 mil (Ramon Lisboa/EM/D.A.Press)Em Ipatinga, a carreta recebeu novas placas e documentos, e uma nota fiscal fria foi criada para legalizar a mercadoria. Com as informações de que a carga seria revendida, os policiais montaram um cerco na região do Ceasa e conseguiram prender José Carlos de Oliveira, de 38 anos. À princípio não foi identificada nenhuma irregularidade, devido a boa falsificação dos documentos. Porém, o chassi havia sido adulterado.

Para a polícia, o motorista era responsável por fazer a entrega dos produtos que eram roubados anteriormente. “Essa é a primeira ação de uma investigação longa e complexa. Outras seis pessoas ainda estão sendo investigadas, vamos descobrir a estrutura do grupo e fazer a individualização da conduta de cada um”, explicou o delegado. José Carlos foi preso por receptação qualificada e uso de documentos falsos. Se o restante dos criminosos forem localizados, ele pode ser incluído no crime de formação de quadrilha.

As investigações foram realizadas pela recém reestrutura Delegacia Especializada em Roubo de Cargas, ligada ao Deoesp, sob o comando dos delegados Hugo Arruda e Marcos Vinícius.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário