SEGURANÇA PÚBLICA

SAIBA TUDO SOBRE A SEGURANÇA PÚBLICA!

22 de fev de 2013

TERMINA REBELÃO NA NELSON HUNGRIA!!!!


Termina a rebelião em Contagem (MG) após 30 horas de tensão

  • Segundo a polícia, ninguém ficou ferido durante motim na Penitenciária Nelson Hungria
EZEQUIEL FAGUNDES (EMAIL · FACEBOOK · TWITTER)
Publicado: 

Atualizado: 

Detentos passam por revista após fim da rebelião Foto: Reprodução/TV Globo

Detentos passam por revista após fim da rebelião Reprodução/TV Globo
BELO HORIZONTE - Após 30 horas de tensão, presos rebelados na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH, libertaram nesta sexta-feira os dois reféns mantidos dentro da unidade prisional. A rebelião começou por volta das 9h da quinta-feira no Pavilhão 1. O local da concentração do motim é distante de onde estão presos o ex-goleiro do Flamengo Bruno Fernandes e seu ex-braço direito Luiz Henrique Romão, o Macarrão. Nenhuma pessoa, segundo a polícia, foi ferida.
Entre os pedidos feitos pelos rebelados detentos estão a não transferência de presos após o fim do motim, a liberação da visita de grávidas, a aceleração da revisão de penas e ainda serem tratados pelos nomes e não por números dentro da unidade prisional pelos agentes penitenciários. De acordo com a polícia, a arma usada para manter os reféns em cárcere era de brinquedo. Durante uma aula, os presos renderam um agente penitenciário e uma professora. Um gabinete de crise foi montado no local, com a presença de autoridades da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), Polícia Militar e Polícia Civil.
Em nota, a Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) informou que após a reunião entre dois representantes dos detentos do Pavilhão 1 da Nelson Hungria e o Comitê Gestor de Crise ficou acordado a soltura dos reféns.
Os presos reivindicavam a saída do diretor do presídio, Luiz Carlos Danúzio. O diretor não perdeu o cargo, mas o governo disse que irá apurar as denúncias. Apontado como líder dos detentos, Daniel Augusto Cipriano, 29 anos, o Snap, chegou a ligar para uma rádio da capital para exigir a presença da imprensa e de um parlamentar.
Em entrevista de dentro da cadeia, o bandido disse que o motim é uma retaliação à proibição de visitas de mulheres grávidas e mudança nos horários para que os parentes vejam os detentos. Por meio de nota, a Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) informou que o motim começou por volta das nove horas da manhã e envolveu cerca de 90 detentos. Segundo a Suapi, a professora e o agente foram rendidos no momento em que estavam na sala de aula que funciona dentro da unidade prisional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário