SEGURANÇA PÚBLICA

SAIBA TUDO SOBRE A SEGURANÇA PÚBLICA!

10 de jan de 2012

Fogo amigo? Tentativa de golpe: oportunistas tentam prejudicar o SINDPOL/MG, "ressuscitando" entidade de cargo extinto de detetives, para descontar imposto sindical de policiais.


Nesta segunda-feira (9), a direção do SINDPOL/MG e da COBRAPOL se reuniram em Brasília, no Ministério do Trabalho, com a finalidade de se equacionar e proteger a base representativa do SINDPOL/MG, contra investidas golpistas e rasteiras de ex-dirigentes derrotados no último pleito que, na busca de se apropriarem de recursos destinados a entidades que realmente representam a Polícia Civil, estão tentando, com a ajuda de setores e funcionários do MTE – Ministério do Trabalho e Emprego - fraudar o processo de repasse do imposto sindical, ressuscitando entidade extinta de detetives, categoria que não mais existe desde 2005.
Tal entidade nunca realizou qualquer ato em defesa dos policiais, e mesmo antes disso a categoria que intencionava representar foi extinta, a de detetive, como também ocorreu com os carcereiros, identificadores, vistoriadores e auxiliares de necropsia. O SINDPOL/MG, no seu fiel dever de defender a categoria, está usando de todos os meios admissíveis um direito de barrar essa iniciativa e fortalecer ainda mais a defesa dos policiais e seus reais interesses, que não se resume só a arrecadação desse malsinado imposto, que a partir de 2008, todos passaram a contribuir.
A direção do SINDPOL/MG entende que a fragmentação e a pulverização de sindicatos, só enfraquecem e beneficia os governos e patrões que sempre se unem quando o assunto é reprimir e negar direitos. Na qualidade de maior e mais representativa entidade sindical, o SINDPOL/MG conclama a sua base a se manter firme e forte nessa, lutar, mormente em mais essa demanda, ruim momento em que nossas atenções deveriam estar voltadas para a nova Lei Orgânica, onde temos que batalhar muito para fazer valer nossos direitos e não apenas procurar artifícios para embolsar o dinheiro dos tão perseguidos e desvalorizados policiais civis.
A recriação do SINDETIPOL/MG – Sindicato dos Detetives de Polícia de Minas Gerais - para fins de arrecadação de imposto sindical, tem o apoio de dirigentes do SINDEPOMINAS - Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de Minas Gerais- e da ADEPOL - Associação dos Delegados de Polícia de Minas Gerais - além da nova central sindical, entidade a qual esse sindicato de categoria extinta é filiado.
É de valia ressaltar que a criação desenfreada e sem critérios de sindicatos e utilização inescrupulosa de recurso público, além de fraude foram alguns desmotivos da exoneração e queda do Ministro Carlos Lupi do MTE, e segundo matéria publicada na Revista VEJA, os problemas ainda persistem e continuam, pois ainda há funcionários de setores do órgão denunciado pelas práticas.
Entidade sindical de verdade tem que viver de filiações, como o SINDPOL/MG sempre fez, e para tanto tem que prestar serviços e resultados, sair da zona de conforto (iniciou em 2003 com 1.200 filiados e sem patrimônio, hoje tem 4.600 e um patrimônio avaliado mais de R$2.000,00, com sede própria e mobiliário que pertencem aos servidores da Polícia Civil de Minas Gerais, como ferramenta destes trabalhadores). A eventual liberação desses recursos deve servir às entidades que verdadeiramente lutam pelos trabalhadores e não aquelas de gaveta que, se articulam na penumbra e no silêncio, com negociatas espúrias e delapidando o patrimônio ético e moral da luta de classe, sem jamais se opor aos opressores, sem coragem de lutar pelos que sofrem. O SINDPOL/MG está e sempre estará na luta.
Acompanhe e participe, pois mesmo sem saber, você acaba sendo prejudicado!

Veja Documentos e matérias relacionadas:

Nenhum comentário:

Postar um comentário