SEGURANÇA PÚBLICA

SAIBA TUDO SOBRE A SEGURANÇA PÚBLICA!

13 de dez de 2011

Rota criminosa.

Cocaína que saiu do Mato Grosso e seria distribuída em Governador Valadares foi apreendida em motel. Detento é acusado de comandar esquema


Daniela Galvão Publicação: 13/12/2011 04:00 AQUI UAI

Bando desmantelado na operação lobo (Euler Júnior/EM/D.A Press)
Bando desmantelado na operação lobo


Uma quadrilha de tráfico de drogas que agia em Minas Gerais foi desmantelada pela Polícia Civil durante a Operação Lobo, deflagrada há 60 dias pelo Grupo de Combate a Organizações Criminosas (GCOC/PC/MP), em parceria com o Departamento de Investigações Antidrogas (DIA) e a Delegacia Adjunta de Tóxicos e Entorpecentes da Primeira Regional de Governador Valadares, no Vale do Rio Doce. Quase 24 quilos de pasta base de cocaína, que saíram da cidade de Mirassol d’Oeste, no Mato Grosso, e foram apreendidos em Valadares, teriam sido negociados por Ronywelson Zeferino de Souza, de 35 anos, que mesmo cumprindo pena na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, teria contado com a ajuda de comparsas para a compra dessa grande quantidade de droga, que seria distribuída em morros de Valadares e na Grande BH.

Segundo o delegado do GCOC, Wanderson Gomes da Silva, os 23,7 quilos de pasta base de cocaína foram encomendados por Ronywelson e foram fornecidos e transportados por Edmur Hipólito Lobo, de 42, em um Gol. Há cerca de 10 dias, ao chegar em Valadares, Edmur se hospedou em um motel, retirou toda a droga de dentro do carro e a escondeu embaixo da cama. “Ele foi localizado e preso em flagrante com outros traficantes que receberiam a droga. Os outros integrantes da quadrilha - Valdete Clementino dos Santos, de 29, Weverson Ferreira de Souza, de 19, e Charlesson da Silva Borges, de 27 - foram presos quando iam para o motel adquirir a droga”.

Wanderson da Silva ressalta que Rony ainda atuava no crime organizado. Os recados para seus cúmplices provavelmente eram repassados por pessoas que o visitavam ou por telefone. “A maior parte da droga, 18 quilos, era para ele. É possível que a pasta base de cocaína seja originária de outro países que estão mais próximos do Mato Grosso, como Bolívia, Colômbia e Peru. Isso ainda será investigado. Essa quantidade de droga, depois de manipulada, poderia superar os 100 quilos e, no mercado, poderia valer cerca de R$ 1 milhão”.

Com os supostos traficantes ainda foram apreendidos três carros, sendo dois Gols e um Corolla, uma Honda Twister, R$ 4.625, um notebook e oito celulares. “O Ronywelson é de Valadares e continua agindo lá. Ele se desvinculou da liberdade, mas não de seus parceiros do tráfico”, disse o delegado da Tóxicos de Valadares, Leonardo Passos Pinaffo.

Rony Valdete e Weverson negaram envolvimento com o caso. Os demais acusados se negaram a falar. Todos ficarão presos em Belo Horizonte.
FONTE: JORNAL AQUI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário