SEGURANÇA PÚBLICA

SAIBA TUDO SOBRE A SEGURANÇA PÚBLICA!

2 de set de 2011

PCMG: Presos dois suspeitos de sequestrar gerentes de banco em Minas.


Juarez Pereira de Andrade, de 24 anos, e Márcio da Silva Ribeiro, 28, foram apresentados nesta quinta-feira em BH.

O suspeito também balaeou e deixou um agente prisional tetraplégico durante uma audiência no fórum em Sete Lagoas,num descuido, o mesmo atirou na cabeça do agente.

Dois suspeitos de integrar uma quadrilha especializada no crime do “sapatinho” foram presos em Ribeirão das Neves, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Nesse tipo de assalto, os criminosos sequestram um gerente de banco ou a família dele e ameaçam as vítimas para conseguir dinheiro em agências.

Juarez Pereira de Andrade, de 24 anos, e Márcio da Silva Ribeiro, 28, são investigados há cerca de quatro meses. Eles são acusados de participar dos assaltos a uma agência do Banco HSBC, em Contagem. Nessa ocorrência do dia 7 de julho a filha e a esposa do gerente da agência foram sequestradas. Também são apontados como responsáveis pelo crime, no dia 13 de julho, em que um gerente e a família foram capturados em Inhaúma, Região Central de Minas Gerais. O bancário foi obrigado a sacar R$ 80 mil.

Segundo a polícia, Juarez usava pelos menos três identidades. As investigações indicaram que o suspeito se apresentava como Maycon de Jesus Pereira, Wilson Rafael e Lucas Batista Nunes. Ele é apontado como um bandido perigos e líder da quadrilha. O suspeito é fugitivo da Penitenciária Nelson Hungria (Contagem) e da unidade prisional de Várzea da Palma, no Norte de Minas.

Márcio da Silva Ribeiro também esteve em preso em 2003, quando foi visitar o irmão na Penitenciária Dutra Ladeira e trocou de lugar com o familiar para facilitar a fuga do preso. Márcio tem passagens na polícia por roubo, assalto e facilitação de fuga.

Durante as investigações, a polícia ainda descobriu que a quadrilha planejava um assalto ao gerente de um Banco Bradesco em Justinópolis, na região metropolitana. Por enquanto, Juarez e Márcio foram atuados por porte ilegal de armas e uso de documentos falsos.

Os delegados Islande Batista e Erick Brandão apresentaram os suspeitos nesta quinta. As investigações da Divisão Especializada de Operações Especiais (DEOEsp) contaram com a ajuda do Centro de Apoio Operacional da Promotoria de Combate a Organização criminosa do Ministério Público de Minas Gerais.

FONTE: ALTEROSA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário