SEGURANÇA PÚBLICA

SAIBA TUDO SOBRE A SEGURANÇA PÚBLICA!

28 de set de 2011

Direção do SINDPOL/MG reúne com a Administração Superior da Polícia Civil.

Na manhã desta terça-feira (27), Dirigentes do SINDPOL/MG reuniram e despacharam como Chefe da Polícia Civil, Dr. Jairo Lellis e o Chefe Adjunto, Dr.Jésus Trindade, sobre temas relacionados à Lei Orgânica, uma vez que, conforme prévio agendamento nesta sexta (30) serão entregues e apresentados os textos finais desse trabalho, para análise e apreciação dos dirigentes sindicais. A reunião também se tratou sobre o importante assunto da saúde do policial civil, bem como sobre a Assembleia Geral da Categoria, que acontecerá no dia 4 de outubro (sexta-feira), quando estará sendo mobilizada toda categoria, para conhecimento e deliberação sobre o movimento reivindicatório e o texto da LOPC.

O Presidente, Denílson Martins, salientou, nesta oportunidade, que em meio a tantos problemas advindos da falta de efetivo, é mister que o Governo e a cúpula da PCMG contemple neste projeto de Lei Orgânica as aspirações dos operadores da Instituição, mormente no tocante a benefícios das carreiras, no sentido de incentivá-los e motivá-los a permanecerem um pouco mais na instituição. O presidente continuou destacando que existem hoje, cerca de quase 3.000 policiais afastados por licença médica, a maioria por problemas psicossomáticos e também, cerca de 2.000 policiais, ou com afastamento preliminar, ou em vias de completar os 30 (homem), e os 25 (mulher), de efetivo serviço prestado à Polícia Civil, podendo, portanto, requererem a aposentadoria. Medidas como a criação de mais dois níveis nas carreiras de investigador e Escrivão, bem como a promoção automática a cada 5 anos, resgataria em muito a autoestima dos servidores, e o possível retorno às suas atividades laborais.

O Chefe de Polícia, Dr. Jairo, comunicou aos Dirigentes que já estão sendo realizados estudos muitos técnicos e decisivos na direção de se instituir uma junta permanente junto às perícias médicas, acompanhando os policiais que têm a saúde vulnerabilizada, além de se potencializar o departamento de recursos humanos, primando por um cuidado maior para com a saúde do servidor policial e administrativo, inclusive buscando alcance para a família dos mesmos, acrescentou que, o que hoje se opera, assim como há muito tempo, é bom, mas pode e deve ser melhorado, pois os desafios para a Polícia Civil devem ser sempre enfrentados. Quanto ao projeto de Lei Orgânica, conforme trabalho realizado pela Assessoria de Planejamento, buscou-se atender ao máximo as necessidades de modernização, eficiência e as sugestões e reivindicações apresentadas pelas entidades de classe, principalmente o SINDPOL/MG, no que acredita que as entidades irão se sentir atendidas, no todo, ou em parte, refrisando que, não obstante, sempre haverão descontentes, pois toda unanimidade é utópica, mas que espaço para diálogo e aperfeiçoamento estará sempre aberto. Finalizou que quanto aos movimentos reivindicatórios, como já foi dito no início de sua gestão, entende ser tais manifestações legítimas, democráticas e republicanas, típicas de entidades que tenham apoio, regularidade e legitimidade no seio da Polícia Civil.

Participaram desta reunião o Presidente Denílson Martins, o Inspetor José Maria Cachimbinho

FONTE: SINDPOL-MG.

Nenhum comentário:

Postar um comentário