SEGURANÇA PÚBLICA

SAIBA TUDO SOBRE A SEGURANÇA PÚBLICA!

6 de set de 2011

Congresso em Foco:Mineiros estão fora da lista dos melhores parlamentares.


Nome. Senador Aécio Neves (PSDB) foi o último mineiro a ocupar cargo de comando no Congresso.


Resultado segue movimento também visto no Executivo e no Judiciário.

Brasília.Nenhum mineiro está na lista de parlamentares que concorrerão ao Prêmio Congresso em Foco - que vai eleger os deputados federais e senadores que melhor representam a população -, elaborada por jornalistas credenciados para fazer a cobertura diária do Poder Legislativo federal.

Dos 11 senadores e 25 deputados na disputa, a maioria é de São Paulo (12), Rio de Janeiro (7) e Rio Grande do Sul (6). Mas Estados com menor tradição política que Minas - como Goiás, Pernambuco, Mato Grosso, Maranhão e Amapá - contam com um representante cada. Já o Distrito Federal, com apenas oito deputados federais, tem quatro.


O desempenho dos mineiros no Congresso acompanha um movimento que acontece também nos Poderes Executivo e Judiciário. No governo Dilma Rousseff, o número de ministros de Minas caiu de três - na gestão anterior - para um. No Superior Tribunal de Justiça e nas demais Cortes superiores, a representatividade também é baixa, conforme os próprios parlamentares.


Análise. Para o presidente do Comitê de Imprensa do Senado Federal, o jornalista Fábio Marçal, que há 25 anos acompanha a rotina política de Brasília, a bancada de Minas nunca foi tão "inexpressiva" como agora. "A liderança mineira mais importante no Congresso era Itamar Franco", colocou, em referência ao ex-presidente da República e senador, falecido em julho.


Para Marçal, a pequena notoriedade dos mineiros se deve, sobretudo, ao comportamento do senador Aécio Neves (PSDB) - o último mineiro a ocupar cargo de comando no Congresso, como presidente da Câmara, entre 2001 e 2002.


"A bancada é muito dependente dele. E, como Aécio está meio apagado, todos sentem o reflexo", disse.

Relação traduz forças da imprensa, diz cientista

Brasília. Para o cientista político da Universidade Federal de Minas Geras (UFMG), Fábio Wanderley, a ausência de mineiros na lista de parlamentares que concorrerão ao Prêmio Congresso em Foco traduz uma disposição de forças que é da própria imprensa.


Como a elaboração da lista dos concorrentes se dá por meio do voto dos jornalistas que fazem a cobertura do Congresso - "em sua maioria, de veículos de São Paulo, Rio ou Brasília" - a escolha dos nomes acaba "enviesada", explicou.


"Acho estranho que uma figura como Aécio não seja considerado um bom senador", colocou Wanderley. Para ele, o eleitor não pode se deixar levar apenas por levantamentos desse tipo.


FONTE: O TEMPO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário