SEGURANÇA PÚBLICA

SAIBA TUDO SOBRE A SEGURANÇA PÚBLICA!

27 de jun de 2010

Argentina e Alemanha farão duelo em clima de final



Argentina e Alemanha farão duelo em clima de final
Países fizeram finais de Copa em 1986 e 1990; no último confronto, em 2006, alemães venceram.
O encontro entre Argentina e Alemanha no próximo sábado, na Cidade do Cabo, pelas quartas-de-final da Copa do Mundo da África do Sul, deve trazer ao torneio um clima de final.
As duas seleções já se enfrentaram em duas finais de Mundial, em 1986 e 1990 - a Alemanha, ainda dividida, como Alemanha Ocidental.
Da primeira vez, a Argentina levou o título, por 3 x 2. Na segunda, a Alemanha ganhou por 1 x 0.
O mais recente confronto entre as duas equipes em uma Copa foi em 2006, quando os alemães - donos da casa - eliminaram os argentinos nos pênaltis, em outra partida de quartas-de-final.
Após o jogo deste domingo contra o México, o técnico da Argentina, Diego Maradona, disse que a Alemanha de hoje é completamente diferente da equipe que ele ajudou a derrotar, em 1986.
"A Alemanha é uma equipe que tem um motivo para ter chegado até aqui no torneio", afirmou Maradona, em entrevista coletiva no estádio Soccer City, em Johanesburgo.
O técnico, no entanto, se recusou a adiantar qualquer previsão de formação para a partida.
"Vou pensar nisso amanhã. Hoje estou curtindo a vitória contra o México", disse. "Mas posso dizer que vou colocar o time que me dará garantias de ganhar da Alemanha."
Já os torcedores argentinos estão confiantes na vitória, principalmente pela presença de Maradona, que não estava na equipe há quatro anos.
"Ele é o que tem mais amor à camisa azul-e-branca", disse à BBC Brasil Alan Idelson, que veio à África do Sul especialmente para o Mundial e aposta em um 2 x 0 contra os alemães.
"Maradona está no mesmo nível dos jogadores, é como se fosse mais um deles, e isso ajudou a equipe a estar muito mais unida e motivada que em 2006", afirmou Fabio Rónchietto, sul-africano filho de argentinos. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

o Estadão

Nenhum comentário:

Postar um comentário