SEGURANÇA PÚBLICA

SAIBA TUDO SOBRE A SEGURANÇA PÚBLICA!

8 de mai de 2010

Uma faculdade chamada Mãe

Uma faculdade chamada Mãe

Certa vez refletindo sobre as coisas boas da vida, enumerei aquilo que é essencial ao ser humano. Enquanto homens somos criaturas estritamente sociais onde estabelecemos círculos de afinidade associados a características e comportamentos peculiares das pessoas envolvidas, por conseguinte possuímos uma alma, aspecto determinante que por meio de sentimentos une essas vidas.
Mulher virtuosa existe pela imensidão de sua bondade. Tem um pouco de Deus e pela constância de sua dedicação tem um pouco de anjo que sendo jovem pensa como anciã e sendo idosa age com a força da juventude; fraca se fortalece com a bravura dos leões e, forte se enfraquece ao choro de uma criança; pobre se enriquece com a felicidade de quem protege e, rica se empobrece pela gratidão dos insensatos.

Ainda hoje sinto saudades daquela melodia... pronunciada ao som de ternura, carinho e regozijo; daqueles sussurros ditos bem próximo do ouvido; era a música que me fazia dormir, era a minha canção de ninar.
Quando criança, ainda em tenra idade, alimentava no seu ventre, conhecemos o exterior, aprendemos e não poucas vezes caímos, marca a história de cada um de nós, mesmo quando repreendidos, ignoramos tal fato e de pressa corremos ao seu encontro.
Ao rejuvenescermos, os desafios mudam e crescem à medida que damos passos certos ou errados, mesmo assim, quão sábias são as suas palavras que em momento propício nos dão a oportunidade de corrigi-los e não cometê-los jamais.
Viva, às vezes, não sabemos lhe dar o devido valor, porque à sua sombra todas as dores se apagam e infelizmente quando já falecida, o que temos daríamos para vê-la novamente e receber uma palavra de seus lábios e um aperto de seus braços.
Ser mãe é um mistério absoluto. Tudo perdoa, tudo sofre, tudo doa e principalmente AMA.
09 de Maio, dia das Mães.
Uma homenagem a nossa guerreira que mesmo que já tenha cumprido a missão, prossegue fielmente sua vocação de nos abençoar dia-a-dia.
"Pode uma mulher esquecer-se tanto do filho que cria, que se não compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas , ainda que esta se esquecesse, eu, todavia, não me esquecerei de ti." Isaías 49:15

Sidney Gonçalves
Jardim das Alterosas – Betim

Nenhum comentário:

Postar um comentário