SEGURANÇA PÚBLICA

SAIBA TUDO SOBRE A SEGURANÇA PÚBLICA!

28 de abr de 2010

Juros. Banco do Brasil explica que taxas variam de acordo com prazos e relacionamento com clientes

Os servidores de minas gerais estão mostrando para o governo que não aceita mais ele sangra a constituição federal, ele decreta alguma coisa que ta fora da lei, e os servidores vão ao STF, e faz cumprir, pois o governo de minas tem que saber que não se pode mais criar decretos e nem leis estaduais, fora da cf, que e soberana, pois ele pública no diário oficial leis e decretos, mais se tiver fora da lei os servidores vão à justiça federal e ele tem que modificar, veja abaixo


DANIEL DE CERQUEIRA/8.2.2008


FOTO: DANIEL DE CERQUEIRA/8.2.2008

Juros. Banco do Brasil explica que taxas variam de acordo com prazos e relacionamento com clientes


Economia



Escolha. Sem condições especiais para o BB, oferta fica mais ampla

Servidores podem pegar consignado em 151 instituições

Banco do Brasil não tem nem a menor nem a maior taxa de juros do mercado



Queila Ariadne

O servidor público mineiro pode pegar empréstimo consignado em 151 instituições. Deste total, 36 são bancos. O Banco do Brasil (que assinou contrato com o Estado para ter condições diferenciadas, que foram revogadas) não é o dono da menor taxa, mas também não tem os juros mais altos. As taxas mensais, que variam de acordo com o prazo que o servidor vai pagar o empréstimo, vão de 1,83% a 2,53%. Bancos como Itaú/Unibanco (1,60%), Alfa (1,70%) e Safra (1,75%), têm taxas mínimas inferiores às do BB. Já em instituições como Real (1,90%), BMG (2,26%) e Bonsucesso (2,35%), os juros mínimos são mais caros.



O Banco do Brasil destaca, por meio da assessoria de imprensa, que cada empresa ou órgão público conveniado ao banco tem uma condição específica de prazos e juros para dar crédito consignado aos funcionários. "Essas condições também variam de acordo com o relacionamento do cliente, no caso o servidor, com o BB. Se ele tem aplicações, por exemplo, a taxa de juros é menor ainda", explica a assessoria.

Sem o decreto que garantiria condições especiais ao BB, as opções se ampliam e ele tem mais taxas de juros para comparar. Além dos bancos, ele pode pegar empréstimo consignado em associações, seguradoras, empresas de previdência complementar, financeiras, sindicatos e cooperativas de créditos, desde que a instituição seja credenciada pela Secretaria de Estado de Planejamento (Seplag).

Quem faz parte da Cooperativa Integrada do Ministério Público (MPCRED), por exemplo, terá uma taxa máxima de 1,69% ao mês, para empréstimos de 72 meses. Para um empréstimo de R$ 10 mil, por exemplo, as prestações seriam de R$ 241,15. No BB, com as mesmas condições e uma taxa de juros de 2,53%, as prestações seriam de R$ 303,17. Já no Banco Schain, com a taxa máxima de juros de 2,60%, as prestações seriam de R$ 308,62.

Alerta. Consultores em finanças alertam que, para quem precisa do empréstimo, o consignado é uma boa opção, já que oferece taxas de juros abaixo das demais linhas de crédito. Para se ter uma ideia, o Crédito Direito ao Consumidor (CDC) tem taxa média de 4,6%. Neste caso, um empréstimo de R$ 10 mil, em 72 meses, teria prestações de R$ 478,79. No fim, o consumidor pagaria R$ 34.472,88, duas vezes e meia a mais do que os R$ 10 mil contratados.

Publicado em: 28/04/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário